Íbis chega aos 80 anos com muitas histórias e mais conectado ao mundo virtual Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quis, neque soluta

Postado em 16 de Novembro de 2018

Marina Maranhão/Esp. DPEnquanto Ozir preside o Íbis, Nilsinho gerencia o Twitter, Facebook e Instagram do clube
O “pior time do mundo” está soprando as velinhas hoje. Fundado em 15 de novembro de 1938, o Íbis Sport Club chega aos 80 anos de vida de olho no futuro e mais conectado nas redes sociais do que nunca. Famoso mundialmente por entrar para o Livro dos Recordes após passar três anos e 11 meses sem vencer (de 20 de julho de 1980 a 17 de junho de 1984), o Pássaro Preto vive um momento de recomeço, já que desde o ano 2000 não joga a principal divisão do Campeonato Pernambucano. Porém, mesmo jogando na Segunda Divisão, consegue ter uma visibilidade gigante, ultrapassando até os limites nacionais. Tudo graças à internet.
 
Com um boa dose de humor e criatividade, o clube tem usado as redes sociais para engajar o público e atrair novos torcedores, além de parcerias importantes. Motivado pela falta de notícias do Pássaro Preto nas redes sociais, Nilsinho Filho decidiu lançar em 2011 o perfil @ibismania no Twitter e Facebook. Rapidamente o perfil virou oficial. Desde então já são 158 mil seguidores no Twitter, 145 mil no Facebook e 74 mil no Instagram. “A ideia era cobrir os jogos em tempo real, produzindo conteúdos como fotos e vídeos e, ao mesmo tempo, brincar com os outros times”, explica o atual diretor de marketing do clube.
 
Graças ao bom desempenho nas redes, o clube conseguiu fechar o primeiro contrato expressivo com um fornecedor de material esportivo. O acordo com a marca italiana Erreà tem duração de dois anos. A primeira linha de uniformes foi lançada este ano e faz alusão aos 80 anos do clube. Já a primeira campanha de sócios lançada pelo clube em 2017 não fez tanto sucesso. “O pessoal levou a gente na brincadeira, pagaram a primeira parcela e não pagaram mais. Vou mandar todo mundo para o SPC”, brinca Ozir Ramos Júnior, presidente do clube.
 
O presidente, aliás, compara o clube a uma cachaça. “O Íbis para mim é como se fosse um vício, uma cachaça. O clube está na minha família desde o meu avô. Mas não é fácil manter um clube desse quase sem patrocínio. Sou só eu, minha família e alguns amigos abnegados”, define Ozir Ramos Júnior. 
Como comemoração do aniversário de 80 anos, o time master do Íbis irá participar de um torneio de master na Arena de Pernambuco, nesta quinta-feira, às 9h.

Mauro Shampoo 

É impossível falar do Íbis sem falar de Mauro Shampoo. Símbolo e maior ídolo do clube, o ex-camisa 10 do Pássaro Preto fez parte do maior jejum de vitórias na história do time, entre 1980 e 1984. “Joguei 10 anos no íbis e só perdi, mas para mim é um orgulho ser o símbolo deste clube. Hoje eu estou na história com a marca do pior, mas também sou camisa 10 como Pelé, Rivaldo e Maradona. Só tenho a agradecer, tenho até um boneco gigante e minha história registrada em filme”, conta, feliz da vida.
 
Figura peculiar, Shampoo conquistou a torcida pelo carisma. “Jogador, cabeleireiro, camisa 10, humano…Show! Show! Show!”. O ex-jogador só marcou um gol em toda sua carreira, na derrota do Íbis para o Ferroviário do Recife por 8 x 1. Após a aposentadoria, Shampoo abriu um salão de beleza em Boa Viagem e ainda atua pelo time master do Pássaro Preto. “O Íbis tem uma história maravilhosa. Desejo que cresça e seja campeão pernambucano, brasileiro e mundial”, concluiu.
 
Rafael Brasileiro/DivulgaçãoPresente durante a maior seca de vitórias do clube, Mauro Shampoo virou a "cara" do time
© 2018 Palmares Fest. Todos os direitos reservados