Publicada em 12/06/2018 às 06h56.
Salgueiro e Santa Cruz ficam no empate em 0 a 0 pelo Brasileiro Série C
Tecnicamente sofrível, partida no Sertão teve raros lances de inspiração

Ricardo Fernandes/Spia Photo
Com muitos desfalques, equipe coral não teve uma noite inspirada no estádio Cornélio de Barros
Salgueiro e Santa Cruz fizeram uma partida tecnicamente sofrível na noite de segunda-feira, no estádio Cornélio de Barros. Embalado por três vitórias consecutivas, o Carcará, de quem mais se esperava, limitou-se a se defender. Jogando fora de casa e repleto de desfalques, o Tricolor até foi esforçado. Arriscou-se mais. E nada além disso. Em um jogo sem muitas emoções e raríssimos lances de inspiração, o placar em 0 a 0 acabou ficando de bom tamanho para as duas equipes.

O quarto empate do time fora de casa levou o Santa Cruz aos 14 pontos, mantendo a equipe na quarta posição do Grupo A da Série C - e invicta como visitante. O clube fecha, assim, o primeiro turno no G4. O Salgueiro, foi a 12 pontos e também se manteve estável, na sexta posição. O Tricolor agora volta a campo na próxima segunda-feira, dia 18, quando recebe o Náutico, em mais um Clássico das Emoções na temporada, no Arruda. O Carcará, por sua vez, irá a João Pessoa, no próximo sábado, enfrentar o Botafogo-PB.

O jogo

Muita correria, transpiração e, pouca, pouquíssima inspiração marcaram o primeiro tempo do duelo no Sertão pernambucano. Com quatro mudanças forçadas em relação ao time que venceu a Juazeirense na última rodada, o Tricolor jogou remendado, bastante modificado da estrutura original da equipe. Sem o lateral direito Vítor e o meia Valdeir, machucados, além do lateral esquerdo Allan Vieira e do volante Charles, suspensos, o técnico Roberto Fernandes optou por uma formação mais precavida, porém com uma série de improvisações. Não funcionou bem.

O zagueiro Eduardo Brito atuou como lateral esquerdo. Enquanto isso, o especialista da posição, Ávila, foi utilizado como homem de criação. A experiência forçou mais mudanças. Arthur Rezende, meia de criação, foi recuado para jogar ao lado de Carlinhos Paraíba na cabeça de área. No ataque, o estreante Leandro Costa acabou isolado. Peça nula. O Salgueiro, que vinha de três vitórias consecutivas e sem sofrer gols, fechou-se bem. Com as marcações de ambos os times se sobressaindo, o que se viu na etapa foi um festival de chutões, lançamentos e passes errados.

A primeira chance do jogo, só veio sair aos 27 minutos. Em falta perigosa, na risca da grande área, Arthur Rezende chutou na barreira. Na sequência do lance, William Lira finalizou com muito perigo com a bola passando à direita de Machowski. Aos 35, mais uma chance do Carcará. Marcos Vinícius cruzou para Willian Lira testar e Carlinhos Paraíba salvar em cima da linha. A melhor chance até então viria aos 49 minutos. Fabinho Alves fez boa jogada individual e deixou Robinho frente a frente com Mondragon. O atacante, no entanto, chutou mal, para fora.
 

Segundo tempo

Embora sem modificações, o Tricolor voltou do intervalo mais ligado. Em dez minutos, três finalizações que levaram perigo ao Carcará. Logo no primeiro lance do segundo tempo, Peu cortou errado e Arthur finalizou para boa defesa de Mondragon. O goleiro do Salgueiro defendeu também, aos 3 minutos, uma bomba de Robinho, após jogada individual do atacante coral. O mesmo Robinho voltou a assustar aos 10, em chute para fora.

A tentativa de imprimir um ritmo mais intenso à partida, restringiu-se aos instantes iniciais. Após a sequência de lances, o jogo voltou a cair no marasmo. Sem mais qualquer outro lance de perigo. Sem qualquer inspiração. Nem a expulsão do lateral Izaldo, aos 42 minutos, animou a partida. O zero não sairia do placar.

SERIE C 2018


Salgueiro 0
Mondragon; Maurício, Emerson e Marlon; Iury, Peu (Bruno Menezes), Michel Guerreiro, Marcos Vinícius e Mateus Mendes (Izaldo); Willian Lira e Erikys Júnior. Técnico: Sérgio China.

Santa Cruz 0
Tiago Machowski; Maílton, Sandoval, Augusto Silva e Eduardo Brito; Carlinhos Paraíba, Arthur Rezende e Henrique Ávila (Halef Pitbull); Robinho, Fabinho Alves (Augusto) e Leandro Costa.. Técnico: Roberto Fernandes.  

Local: Cornélio de Barros, em Salgueiro.
Árbitro: Adriano Milczvski (PR).
Assistentes: Daniel Cotrim de Carvalho e Jefferson Cleiton Piva (ambos do PR).
Cartão vermelho: Izaldo (42’ do 2ºT) (S).
Cartões amarelos: Izaldo, Maurício, Erikys Júnior (S); Sandoval, Tiago Machowski (SC). 
TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Artesanato
Artes de Pernambuco
artesanato
Copyright © 2018 Palmaresfest - todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rodrigo TI
Copyright © 2018 Palmaresfest - todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rodrigo TI