Romário: 'Seleção Brasileira tem obrigação de jogar em função de Neymar' Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quis, neque soluta

Postado em 04 de Junho de 2018

Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A PressRomário concorda com Tite na opção por Gabriel Jesus
Na espera para a entrevista com Romário (Podemos-RJ), a equipe do Correio ouve, de uma televisão dentro do gabinete número 11 do anexo II do Senado Federal, trechos da narração de Galvão Bueno da final da Copa do Mundo dos Estados Unidos, em 1994, quando o Baixinho comandou a conquista do tetracampeonato mundial da Seleção Brasileira. Já dentro do escritório pessoal do político, a tevê está sintonizada no canal oficial do Senado, por onde o ex-jogador acompanha os votos sobre o projeto de reoneração da folha de pagamento de empresas. Os dois aparelhos mostram as duas principais facetas de Romário, um dos melhores jogadores da história do futebol brasileiro e pré-candidato ao governo do Rio.

Antes mesmo de a conversa começar, comentou-se com o senador que, por 2018 ser um ano de Copa do Mundo e eleições, ele está no centro das atenções. A resposta foi característica do craque, que também se notabilizou pelas entrevistas polêmicas. “Eu estou sempre em evidência, não só em época de Copa do Mundo e eleições", disse sorrindo.

As bandeiras do Brasil, América-RJ, Rio de Janeiro e do partido Podemos, em destaque na sala, mostram a história e os interesses de Romário. Além das flâmulas, estão expostas dezenas de placas de agradecimento de entidades protetoras de pessoas portadoras de síndrome de down, principal causa de sua carreira política, muito por causa da filha Ivy, de 13 anos, portadora do distúrbio genético. 

Em entrevista exclusiva, o ex-camisa 11 diz preferir Gabriel Jesus a Roberto Firmino e acredita que o Brasil tem que jogar em função de Neymar. O Baixinho também teme por um quarto rebaixamento do Vasco, lamenta a falta de centroavantes no país e elogia a organização econômica do Flamengo. Sobre o cenário político, o senador jura não se arrepender do voto a favor do impeachment de Dilma Rousseff.

Leia a entrevista completa:

Sobre a Copa do Mundo, o que achou da convocação de Tite? Faltou alguém?

Levaria o Luan, do Grêmio, entre os 23 convocados. Fora esse nome, os outros estão dentro do que apresentaram nos últimos meses, e todos foram testados pelo Tite, então, ele, melhor do que ninguém, conhece. Em comparação às outras listas de de Copas anteriores, foi muito bom, ele teve 99% de acerto. 

Como especialista na posição, prefere Gabriel Jesus ou Roberto Firmino entre os titulares na Rússia?

Da forma que o time do Tite joga, tem que jogar o Gabriel Jesus.

Para esta Copa, a gente só tem o Neymar como grande foco das atenções, diferentemente de edições anteriores. Você acha isso ruim?

Na minha concepção, o Brasil tem por obrigação jogar para o Neymar. Toda vez que o Brasil foi campeão do mundo, sempre a equipe jogou para determinado jogador, talvez para dois. Existe a dependência, todos nós sabemos, não vejo isso como um ponto negativo. Neymar estava em grande fase, vamos torcer para que ele volte bem de lesão, temos mais probabilidade de ganhar se jogarmos para o Neymar, que é o melhor.

Na Europa, surgem alguns boatos de que o Neymar pode estar indo para o Real Madrid. No lugar dele, você iria? Mesmo com toda identificação com o Barcelona...

Da parte técnica, eu nunca sairia do Barcelona. Mas se colocar a parte financeira, o jogador tem que aproveitar o máximo para ganhar financeiramente. Pode parecer que não, mas em alto nível você joga 10,12 anos... dentro desse tempo você tem que jogar num bom clube e que, financeiramente, foi bom pra ele, pra família. Isso tem uma importância grande. Na parte técnica, ele jogando no PSG, se ele inspira ser o melhor do mundo, ele vai ter mais dificuldades jogando lá. Se você for ver, os melhores do mundo jogam na Espanha, Itália e Inglaterra. Ninguém nunca ganhou jogando na França.

Acha que a geração atual é ruim?

Longe de ser ruim. Geração diferente, parte técnica é até boa, fisicamente é muito mais forte que as outras. Isso iguala a equipe com as outras seleções. Vejo a Alemanha superior a todas, já vem com esse grupo há alguns anos. Não estou afirmando que a alemanha será campeã, mas é a melhor estruturada. Estamos perto deles e o peso da nossa camisa faz diferença.

Você seria presidente da CBF?

Poderia ser, não nos próximos quatro ou oito anos, por que estou comprometido com outras coisas. Depois disso, essa possibilidade seria bem legal.

Acompanha os times em que jogou? Qual sua opinião sobre o atual momento político do Vasco?

Não acompanho diretamente, mas não tem como não saber, tenho muitos amigos vascaínos. O Vasco está em um momento muito ruim, em uma crise de falta de credibilidade com o atual presidente, por tudo que aconteceu. O Vasco é mais falado pela parte política do que pelo futebol, isso é muito ruim para o time. A equipe tem que se reorganizar, reestruturar e se reforçar para tentar fazer um Brasileirão decente. Do jeito que está, o Vasco tem grandes chances de jogar mal no torneio e cair de novo para a segunda divisão. Longe de ser o que eu quero, mas o que está se desenhando é isso.

Como avalia o atual momento do Flamengo? O que falta para o time conquistar os títulos e sair do “cheirinho”?

Passei quase cinco anos lá, fui muito bem recebido, infelizmente não conquistei os títulos que gostaria (em cinco anos no clube, Romário ganhou dois Cariocas e uma Copa Mercosul). Hoje, a parte de estrutura é excelente, o time cumpre suas obrigações e deveres na parte fiscal. Vejo o Flamengo como um bom time, mas isso tem que ser demonstrado dentro de campo. Apesar de ter se estruturado politicamente, bem melhor do que o Vasco, por exemplo, no futebol o que vale é o resultado, e isso não está acontecendo. O Flamengo é o time que quando pegar a mão direitinho, vai embora.

Acha que pode acontecer novamente algo parecido com o que você fez? Um grande craque voltar para o Brasil logo após arrebentar em uma Copa do Mundo e ser eleito o melhor jogador do planeta?

Na verdade, minha volta para o Brasil foi atípica. Você só vê isso hoje em dia quando o cara está em queda ou ele está se sentindo mal, e quer voltar para tentar aparecer e jogar uma Copa do Mundo. Da forma que aconteceu comigo, é quase impossível. A parte financeira é muito grande. Ninguém vai deixar de ganhar mais pra jogar no Brasil, essa é a verdade.

Acredita que o futebol brasileiro vive uma crise de centroavantes?

Hoje, o nosso camisa 9 não é um 9 nato, mas é fazedor de gols, que é o Gabriel Jesus, e também tem o Firmino. Sabem fazer gols, é com eles que temos que ter esperança. Não são do mesmo nível de Romário, Careca ou Ronaldo, mas são atletas que podemos acreditar.

Quem é o melhor camisa 9 do país?

Aquele cara que mais faz gol, é do Santos ainda? Tem 33 anos...

Ricardo Oliveira?

Esse! para mim o camisa 9 tem que marcar gols na hora certa. É o que ele vem fazendo (na verdade, Ricardo Oliveira é jogador do Atlético-MG desde o início do ano, e já tem 38 anos).

Mudando do futebol para a política. Recentemente, saíram boatos de que você teria desistido da candidatura ao Governo do Rio de Janeiro, é verdade?

A política é igual em todo Brasil, e no Rio não é diferente. Sempre quando tem algum nome na frente das pesquisas, os adversários procuram, de alguma forma, diminuir isso. Como eles não têm nada pra falar de mim em relação a essa lama que temos, hoje, o que eles usam é isso. Falando que vou desistir. Não tem a mínima possibilidade de eu desistir, estou completamente no jogo, sem chance de eu mudar de opinião.

Você diz que não há nada o que falar sobre sua vida política, porém está sendo investigado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras por uma suposta movimentação de milhões de reais que passaram de forma atípica pela conta da sua irmã e por uma empresa cujos sócios são seus pais...

Tem saído umas notícias sobre investigação sobre a minha vida, a vida da minha irmã, da minha mãe… Pode investigar, não tem problema nenhum! Estou tranquilo em relação a isso, sempre estive.

Viu que o Ronaldinho entrou para a política? Tentou levar ele para o seu partido?

Eu li que o Ronaldinho poderia entrar para o meio, liguei para ele e para o Assis, mas não nos falamos mais depois disso. Ele estava indo pro PRB porque lá é número 10 e ele gosta disso, dessa coisa do número 10. Mas é só isso que sei, não sei se ele concorrerá mesmo (Ronaldinho se filiou ao PRB-DF e pode concorrer ao Senado Federal nas eleições de outubro).

Romário quer ser presidente do Brasil?

O que eu penso agora é em enfrentar uma eleição difícil no Rio e, se for eleito, uma enfrentar uma situação pior ainda. O Rio está num momento complexo, qualquer um que for administrar o estado terá problemas. Serão decisões difíceis de se tomar, talvez não bem vistas, mas só dessa forma mudará algo. Quero ganhar a eleição, e que papai do céu me abençoe para eu conseguir fazer um grande grupo, um secretariado de pessoas competentes e honestas. Tem que ter disposição, coragem e não pode ter sujeira lá atrás. Sei das dificuldades, complexidade, principalmente com esse Rio de Janeiro. Estou acostumado com desafios, esse será mais uma na minha vida, o maior de todos.

Sobre o Rio de Janeiro… é a favor da intervenção militar no estado?

Fui a favor da intervenção. Já se passaram alguns meses, tive com o General Braga Neto (Interventor Federal) recentemente e vi muitas coisas que os militares estão fazendo. O caminho que está sendo trilhado é interessante para o futuro do Rio de Janeiro. Eles trabalham, se esforçam, e vão deixar pro Rio algo muito importante na área de inteligência e mapeamento do crime organizado. Foi isso que entendi, e acho que é um ponto positivo. É cedo para se avaliar se a intervenção deve continuar ou não. Talvez lá na frente eu possa responder melhor.

Você foi a favor do impeachment de Dilma Rousseff. Qual a sua avaliação do governo que assumiu?

Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A PressRomário nega arrependimento
Quando eu fui a favor do impeachment, eu entendia que o então governo tinha cometido crime de responsabilidade. Ao entrar esse governo atual, todos nós esperávamos o país em um rumo diferente. Nos primeiros meses, até que as coisas aconteceram, mas, infelizmente, muitos desses que comandam o país não estavam preparados para estarem nessa posição, são pessoas que cometem corrupção desenfreada. A gente tem que entender que em outubro temos novas eleições, vão aparecer candidatos preparados para tomar conta do país. O povo tem que votar naquele que realmente entenda que vai mudar. Do jeito que está, está muito feio

Se arrependeu de votar contra Dilma?

Não me arrependo, meu voto foi pela ação do governo anterior. Como não teria outra possibilidade de governo que não esse… mas esperava que algo acontecesse, e espero ainda. Mas, pelo que estou vendo, o governo já está no seu final.

Qual a sua opinião sobre a greve dos caminhoneiros (no meio da entrevista, Romário precisou sair do escritório para votar de forma favorável ao projeto que reduz a zero o tributo sobre óleo diesel)?

Eles já vinham dando sinal há algum tempo, há alguns meses. O governo não ouviu as reivindicações. Qualquer classe, para chegar nesse ponto, tem com certeza os seus motivos. Por mais que tentaram conversar e se aproximar, não aconteceu e foram por esse caminho. Sou bem a favor da greve, é bom para que o governo entenda e respeite as classes no que se refere às reivindicações. Tenho 100% de certeza o governo poderia ter evitado isso, mas não acreditaram.
© 2018 Palmares Fest. Todos os direitos reservados