Publicada em 11/04/2018 às 18h54.
Justiça bloqueia bens de Lula por débito fiscal; defesa alega fins políticos
O Instituto Lula também evitou declarar os valores de bloqueio determinado pela Justiça

da Agência Brasil

 

A Justiça Federal de São Paulo bloqueou um montante do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de seu instituto e de sua empresa de palestras, a LILS, referentes a débitos fiscais. A assessoria de imprensa de Lula informou que a defesa já está recorrendo tanto do bloqueio de bens quanto do mérito, porque os impostos foram pagos.

A Justiça Federal em São Paulo não divulgou o montante bloqueado e a Receita Federal disse que não se manifestaria por questão de sigilo.

O Instituto Lula também evitou declarar os valores de bloqueio determinado pela Justiça, mas informou que é “muito mais do que qualquer um desses entes possui de recursos”, acrescentando que a medida é “mais um ataque de lawfare, a guerra jurídica contra Lula com fins políticos, para sufocar as atividades do Instituto e dificultar o direito do ex-presidente Lula de se defender”.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, disse, em nota, que “além de impor uma condenação sem base legal a Lula e privá-lo de sua liberdade, em manifesta afronta à presunção de inocência assegurada na Constituição Federal, a Lava Jato quer retirar do ex-presidente qualquer possibilidade de defesa, ao privá-lo de seus bens e recursos para garantir um débito tributário que ainda está sendo discutido na esfera administrativa e que não tem qualquer relação com os valores reais doados ao Instituto Lula”.

Martins reiterou que o ex-presidente não tem os valores indicados no documento e a decisão de bloqueio foi impugnada por recurso, que aguarda julgamento no Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
Artesanato
Artes de Pernambuco
artesanato
Copyright © 2018 Palmaresfest - todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rodrigo TI
Copyright © 2018 Palmaresfest - todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rodrigo TI