Publicada em 10/10/2017 às 07h53.
Jogador do Sport é liberado após pagar R$ 10 mil de fiança
Segundo a Polícia Civil, Juninho foi autuado em flagrante por ameaça, injúria e agressão.

Por Thays Estarque, G1 PE

Preso por suspeita de ameaçar e agredir a ex-noiva, o jogador de futebol Edmar Ribeiro da Costa Júnior, conhecido como Juninho, de 18 anos, do time principal do Sport Club do Recife, foi liberado após pagar fiança no valor de R$ 10 mil. O atleta foi detido na segunda-feira (9) após a vítima, de 20 anos, alegar que ele a ameaçou com uma faca, a agrediu e a trancou em um dos quartos do apartamento dele, em Boa Viagem, na Zona Sul da cidade, durante a madrugada.

Revelado nas categorias de base do Sport, o atacante Juninho é alvo de dois boletins de ocorrência, segundo a delegada Ana Elisa Sobreira. Ele foi autuado em flagrante pelos crimes de ameaça, injúria e agressão. O jogador nega as acusações. “Estamos investigando o caso e analisando provas e elementos para ter certeza dos crimes. A gente tem que analisar isso, porque é a versão dele contra a dela”, pontuou a delegada.

Juninho, atacante do Sport, nega as acusações, segundo o advogado do jogador (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)Juninho, atacante do Sport, nega as acusações, segundo o advogado do jogador (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)
Juninho, atacante do Sport, nega as acusações, segundo o advogado do jogador (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

Um dos boletins é datado do dia 17 de agosto deste ano, quando o atleta teria agredido a ex-noiva com socos no estômago. Segundo a vítima, ela não teria seguido com as acusações a pedido dos pais e do empresário de Juninho. A jovem morava com o atleta há cinco meses. O relacionamento chegou ao fim há três dias, de acordo com a mãe da vítima.

Na noite de segunda (9), a porta-voz da Polícia Civil que falou com a imprensa sobre o caso foi a delegada Tereza Nogueira. "Vamos ouvir mais pessoas. Ele alega inocência, que não a ameaçou, que não proferiu injúrias, que foram alguns problemas conjugais. Ela alega que ele não aceitava o final do relacionamento e ele alega o inverso, e aí fica, de fato, a palavra de um contra a do outro. A polícia se utiliza de provas testemunhais e provas materiais, como as imagens provenientes das câmeras de segurança. O inquérito continua e nós temos 30 dias para concluir", ressaltou.

 

Acusação

 

Na madrugada de segunda (9), as ameaças e a agressão ocorreram após os dois se encontrarem em uma festa. No local, Juninho teria se aproximado da ex-noiva e a chamado para conversar em seu apartamento.

“Ele já tinha bebido muito e eu não queria ir sozinha, por medo”, diz. Ainda segundo a jovem, ele a teria convencido a seguir até o imóvel, ao falar que levaria um amigo. A primeira agressão teria ocorrido assim que chegaram ao local, na portaria do prédio.

Ex-noiva foi ouvida na Delegacia da Mulher, na área central do Recife (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)Ex-noiva foi ouvida na Delegacia da Mulher, na área central do Recife (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)
Ex-noiva foi ouvida na Delegacia da Mulher, na área central do Recife (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

“Ele me deu o primeiro tapa no rosto, ainda na portaria. Subimos para o apartamento, ele me ameaçou com uma faca e trancou a porta do quarto. Disse que eu deveria ficar amordaçada, sem rede social, sem contato com ninguém. Então, disse que ia me matar se eu não cumprisse”, fala a vítima.

A ex-noiva disse, ainda, que só conseguiu se desvencilhar dele, porque o amigo o segurou. “Eu gritei por socorro com todas as forças que tenho. Uma vizinha chegou a ver e ligou para a portaria. Eu saí correndo”, completa.

Defesa

 

O advogado do jogador, Ernesto Cavalcanti, defende que o seu cliente é inocente das acusações. Ele declarou que todo o ocorrido foi uma obra fantasiosa da ex-noiva do atleta, que é natural da cidade de Amarante (PI) e atua como atacante no time do Sport.

"Juninho foi interceptado por ela ao sair da casa de eventos. Ela insistiu em querer conversar com Juninho, que a levou para casa. Lá conversaram, dormiram juntos. Ao amanhecer, ela insistiu em ficar com Juninho, que disse que havia outra pessoa. Ela insistiu que ele mandasse uma mensagem para acabar com essa pessoa, mas Juninho disse que não. Aí ela disse que ia acabar com a vida e a carreira dele. Chamou a polícia e criou essa fantasia dizendo que ele a agrediu", alegou o advogado do atleta.

 

Sport

 

Em entrevista ao Globoesporte.com, o vice-presidente do Sport, Gustavo Dubeux, informou que o clube tem dado o apoio possível a Juninho, mas, como se trata de um caso pessoal, apenas observa o desenrolar dos fatos. "A gente conversou com ele e orientou para que contratasse um advogado particular. Estamos acompanhando de longe por ser um caso pessoal e torcendo que tudo se resolva da melhor maneira possível", afirmou.

TODOS OS COMENTÁRIOS (0)



Login pelo facebook
Postar
 
cidade
Palmares
Video promocional
Copyright © 2017 Palmaresfest - todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rodrigo TI
Copyright © 2017 Palmaresfest - todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rodrigo TI